sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Crítica de Ela

Olha Quem Está Falando

Ela // Her

Nota: 7,0


Eu tenho que dar o braço a torcer e reconhecer que Spike Jonze faz filmes que fogem do senso comum e do clichê. Ele sabe arriscar. Mas se eu gosto dos filmes que ele faz? Francamente, não... Quero Ser John Malkovich é interessante, mas deixa aquele riso amarelo na cara da gente. Adaptação é mistura de dois “gênios loucos” da indústria, ele e Charlie Kaufman, e deixa a gente mais confuso e perplexo do que ver a filmografia inteira de David Lynch numa sentada. Nunca consegui terminar de ver Onde Vivem Os Monstros porque o tédio me consome. Ela não me entediou ou me confundiu, só me constrangeu.

Não tenho como dizer que Ela é um filme ruim. Não é. Mas é um tema que não me atrai. A história do homem anti-social que não consegue interagir bem com pessoas e se apaixona por seu computador - que raciocina e se emociona - me deixou desconfortável. Eu ficava o tempo inteiro pensando que aquele homem tava viajando na maionese e precisava de uma intervenção urgente. Surto psicótico alucinante. O coitado precisa do mesmo psicotrópico pra elefante que o Joaquim Phoenix toma na vida real. Se ele tivesse tomado um LSD eu ia achar a história bem mais interessante.

É uma fábula, uma fantasia, eu sei. Me deixa... Não sou obrigado a gostar de toda história, né? Até hoje detesto A Pequena Vendedora de Fósforos. Trauma de infância severo, não gosto nem de lembrar. Ela não chegou a tanto. Tem um filminho futurista de 30 anos atrás com a Virginia Madsen chamado Electric Dreams como uma história levemente similar, que eu amei por ser frívolo confesso. Já esse romance do nerd com o seu Windows do futuro não me comoveu, talvez por se levar a sério demais. Acho que faltou humor. Falta de sensibilidade minha? Provável. No futuro pode ser que eu mude de opinião. Ou pode ser que não... Para não dizer que não falei das flores, a trilha sonora é belíssima. O ponto alto do filme, na minha opinião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário