segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Oscar 2012


John Stewart, Chris Rock, Anne Hathaway, James Franco, Steve Martin, Alec Baldwin. Não importa quem seja o apresentador do evento, nem trazer Billy Crystal de volta, que a cerimônia esse ano provou que o que não funciona mesmo é a fórmula pra lá de gasta. Cortaram as músicas, os prêmios especiais por carreira, correram como podiam, diminuíram ainda mais a tolerância dos discursos de agradecimento, mas o evento continuou longo, arrastado, cansativo. Além de enfadonho.

E cada vez mais me certifico que a cerimônia não premia qualidade, mesmo O Artista sendo um bom filme. Acho que é mais uma forma de se premiar uma tendência, do que a excelência em si. A tendência desse ano foi nostalgia. O Artista e Hugo levaram 5 prêmios cada, e são dois filmes sobre os primórdios do cinema, que certamente tocaram o coração dos eleitores da Academia, que na sua média, é masculino, branco e acima dos 60 anos de idade. E por fim meus filmes favoritos nunca vão longe. Raramente meus favoritos vencem. Disso eu já até me acostumei.

Christopher Plummer consagra-se o ator mais velho a ganhar um Oscar. Meryl vence finalmente depois de 29 anos, com um vestido quase igual ao da vez anterior. A conclusão que me fica é que a cerimônia ainda é bem status quo, só ver como a festa é tão TFP (tradição-família-propriedade), moral e bons costumes, sem transgressões ou ousadias, e o momento mais ‘‘chocante’’ (ou inesperado) é o Borat sacudindo poeira no Ryan Seacrest no tapete vermelho, e ainda usarem gays como motivo de riso, como no beijo de Billy Crystal e George Clooney, e Colin Firth anunciando prêmio. Esses roteiristas precisam ver The Celluloid Closet urgente.


Frases da noite:
Estou aqui pra te conseguir o demográfico de 18 a 24
Justin Bieber, na montagem de abertura, fazendo piada com a constante luta,
em vão, da Academia de atrair a audiência jovem para assistir o evento.


Essa abertura foi ‘Extremely Loud & Incredibly Close’. Esta é minha nona vez apresentando, então podem me chamar de ‘War Horse’.
Billy Crystal, no seu monólogo inicial.

O cinema está sempre aí para nós. É onde podemos rir, chorar... mandar SMS...
Billy Crystal, no seu monólogo inicial.

Divirtam-se esta noite! Nada pode nos fazer esquecer dos problemas econômicos mundiais como ver milionários se premiarem com estatuetas de ouro.
Billy Crystal, no seu monólogo inicial.

Nove é o novo dez.
Billy Crystal, claramente debochando da bobagem da academia de não
arredondar o número de indicados a melhor filme.

Depois de ver The Help eu queria abraçar a primeira mulher negra que eu encontrasse, mas de Beverly Hills são 45 minutos de carro.
Billy Crystal, fazendo piada e ironizando como as coisas
não mudaram tanto assim.

Você é uma mulher de sorte. Ele beija muito bem.
Billy Crystal, se dirigindo à Stacy Keibler, namorada do George Clooney,
fazendo piada com o beijo que eles deram na montagem de abertura.

Vejam só alguns dos indicados: Christopher Plummer, com 82 anos. Max von Sydow, com 82 anos. Quando meu avô tinha 82 anos a gente não deixava nem ele ir ao cinema.
Billy Crystal, falando sobre os indicados a ator coadjuvante.

Vamos dar o fora daqui.
Os vencedores de melhor montagem por Millenium (a melhor coisa do filme,
de fato), mostrando que o pessoal da parte técnica realmente
não se sente muito confortável nos holofotes.

Eu não estaria aqui se não fosse (...) por meu parceiro de cena, Ewan McGregor, um ator soberbo, e com quem eu felizmente dividiria esse prêmio se eu tivesse alguma decência, mas eu não tenho.
Christopher Plummer, recebendo seu prêmio de ator coadjuvante.

Eu prefiro um curta que seja bom pra mim a um longa que só fica lá e você tem que fazer o trabalho todo.
Kristen Wiig, junto com as demais protagonistas de Bridesmaids,
apresentando o prêmio de Curta Metragem.

Meryl... Mamma Mia! Estávamos na Grécia, nós dançamos, eu era gay, e éramos felizes. E provavelmente sou o pai da sua filha.
Colin Firth, apresentando Meryl Streep como candidata a melhor atriz
e relembrando quando contracenaram juntos.


Quando meu nome foi anunciado eu pude sentir que metade do país dizia ‘Oh, não! Por que ela de novo?’
Meryl Streep, aceitando o prêmio de melhor atriz.



Top 5 – Melhores Momentos:

1. Octavia ganhando melhor atriz coadjuvante (vídeo aqui). Pelo menos uma verdadeira torcida minha tinha que se concretizar.



2.
Os vídeos dos atores contando suas memórias de infância sobre cinema. Esse de cima foi o primeiro deles, mas houve diuversos espalhados na transmissão. Apesar de ter alguns atores lá, tipo Adam Sandler, falando com tanta propriedade que até fazia parecer que eles têm alguma coisa que preste no currículo.


3.
O vídeo satírico de uma platéia teste de O Mágico de Oz, cheio de comediantes ótimos e esquecidos pela academia, como Eugene Levy, Christopher Gues, Catherine O'Hara e Jennifer Coolidge. E cá entre nós a academia nunca gostou de comediantes.



4.
Emma Stone apresentando o prêmio de melhor efeitos especiais. Mesmo com o Ben Stiller do lado.



5. Esperanza Spalding cantando What a Wonderful World para os falecidos.



Top 5 – Piores Momentos:

1. Meryl vencendo melhor atriz. Jamais imaginei ficar triste de vê-la ganhando um Oscar (levando em consideração que as duas vezes que ela venceu eu nem era nascido), mas esse ano torci de corpo e alma, e mais um pouco, pela Viola Davis.

2. Apressarem o discurso da Octavia Spencer, que ficou louca correndo pra terminar, e perderem tempo demais com besteiras, como sketchs ridículos, como o da Gwyneth com Robert Downey, e mostrando aqueles músicos tocando música de elevador antes dos intervalos, além das vendedoras de pipoca à la pin-ups, que não faziam sentido algum.

3. Rio perdendo canção para aquela sentinela sem graça dos Muppets.

4. Estragarem a montagem “vamos ao cinema”, que começou tão bem com A Princesa Prometida, Lendas da Paixão, Amélie e Ghost, colocando depois todos os comediantes podres de Hollyood. Ben Stiller, Adam Sandler, Mike Myers, Eddie Murphy... Não esqueceram nenhum! E só colocaram filmes relativamente recentes.

5. Ver Melissa Leo de novo.



Constatações:

- Emma Stone é a nova Julia Roberts. Pelo menos a simpatia dela parece ser autêntica.

- Nick Nolte: de Sexiest Man Alive, em 1992, a Papai Smurf.

- Gwyneth já é uma assombração, não precisava ir vestida de fantasma...

- Sandra Bullock tá japonesa. Tá passando pelo processo de plastificação que Nicole Kidman passou alguns anos atrás e, ainda bem, parece ter deixado de lado.

- Até Barbra Streisand caprichou no bisturi agora.

- E Tom Cruise também mergulhou no botox.

- Angelina Jolie continua doentiamente esquálida. E tá ficando a cara da Joan Collins (aquela perua de Dynasty, aquela novela quase mexicana).

- Rooney Mara esteve linda no Globo de Ouro, mas foi pro Oscar com um franjão de Maria-Mijona.

- Dujardin, que tinha minha torcida, me pareceu, dessa vez, canastrão e pedante. Devia ter torcido pelo George Clooney.

- Até agora não entendi porque Cameron Diaz e Jennifer Lopez viraram as costas (no caso da J-Lo, o bundão) pra platéia antes de entregar o prêmio de maquiagem. Cá entre nós, A maquiagem de Harry Potter era muito melhor.

Obs: Mistério esclarecido! J-Lo pagou peitinho e virou de costas pra se arrumar. Cameron ficou de costas em solidariedade.

- Bérénice Bejo fica melhor em preto e branco.

- Jessica Chastain estava linda.

- Glenn Close e Janet McTeer se passando por homens em Albert Nobbs é, assim, tão convincente quanto a ‘exótica cantora’ de The Crying Game.

- Por mais que eu odeie admitir, o Cirque du Soleil me deu sono.

- Chris Rock tem um tom de voz insuportável. Ele pode dizer bom dia, que já desperta minha antipatia.

- Rubens Ewald continua bem enjoadinho, como por exemplo chamar Christopher Plummer de canastrão (mesmo que outrora), mas quando ele espinafrou a Rooney Mara e o Millenium, eu não vou mentir que concordei...


A lista completa de vencedores:

Melhor filme
O Artista

Melhor diretor
Michel Hazanavicius -
O Artista

Melhor atriz
Meryl Streep por "A Dama de Ferro"

Melhor ator
Jean Dujardin por "
O Artista"

Melhor ator coadjuvante
Christopher Plummer por "Toda Forma de Amor"

Melhor atriz coadjuvante
Octavia Spencer por "Histórias Cruzadas"

Melhor Roteiro Original
Woody Allen por "Meia-Noite em Paris"

Melhor Roteiro Adaptado
Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash por "Os Descendentes"

Melhor Filme Estrangeiro
"A Separação" de Asghar Farhadi (Irã)

Melhor Animação
"Rango" de Gore Verbinski

Melhor Curta de Animação
"The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore" de William Joyce e Breon Oldenburg

Melhor Documentário
"Undefeated" de TJ Martin, Dan Lindsay e Richard Middlemas

Melhor Documentário Curta Metragem
"Saving Face" de Daniel Junge e Sharmeen Obaid-Chemoy

Melhor Trilha Sonora
Ludovic Bource por "
O Artista"

Melhor canção
"Man or Muppet" de "Os Muppets"

Melhor Direção de Arte
Dante Ferretti e Francesca Lo Schiavo de "A Invenção de Hugo Cabret"

Melhor Fotografia
Robert Richardson de "A Invenção de Hugo Cabret"

Melhor Edição
Kirk Baxter e Angus Wall de "Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres"

Melhor Mixagem de Som
Tom Fleischman e John Midgley de "A Invenção de Hugo Cabret"

Melhor Edição de Som
Philip Stockton e Eugene Gearty de "A Invenção de Hugo Cabret"

Melhor Efeitos Visuais
Rob Legato, Joss Williams, Ben Grossman e Alex Hennemg de "A Invenção de Hugo Cabret"

Melhor Maquiagem
Mark Coulier e J. Roy Helle de "A Dama de Ferro"

Melhor Figurino
Mark Bridges de "
O Artista"

Melhor Curta Metragem
"The Shore" de Terry George e Oorlagh George

6 comentários:

  1. hahahaha adoro seu humor, um tanto às vezes, sarcástico! kkk
    rapaaz, Viola Davis realmente poderia ter ganhado esse ano, mas Meryl Streep arrasou lindamente em a Dama de Ferro =x
    gentee, fiquei doente de Rio ter perdido.. é bem capaz de que se nessa categoria só RIO tivesse concorrendo, a Academia anulasse a categoria por falta de oponentes -.- kkkkkk
    enfim, cada vez mais chego a conclusão é que o Oscar não é mais o prêmio TOP do cinema.. é preciso reformular esse julgadores múmias que pararam no tempo! ;/

    ResponderExcluir
  2. Sarcasmo é meu sobrenome ;)
    Como eu disse aqui no blog, Dama de Ferro é muito chato, ela era chata, e a Meryl podia ter vencido por um filme melhor. É de longe o pior filme pelo qual ela levou Oscar.
    Quanto a Rio ter perdido, eu já imaginava. Muppets é icônico pra americanos, eles não iam deixar de premiar. Mas eu tambem acho mais que gritante a superioridade da canção brasileira.
    Oscar sempre foi um premio de divulgacao do cinema americano. Ultimamente tem deixado de premiar os filmes comerciais, ate porque eles estao cada vez piores, e isso preocupa a Academia. Mas ela tambem tem errado demais, tanto nos criterios de selecao, quanto no formato do evento, etc.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu gostei do cirque de soleil.
    Sobre os prêmios, há anos deixei de ter qlqr credibilidade em Oscar, curto o glamour e n deixo de torcer, mas não acho que o prêmio em si prove nada. Kate Winslet, que adoro, ganhou por um filminho que achei bem mais ou menos e o papel em que ela mais brilhou sequer foi indicado, Revolutionary Road ficou de fora. Noomi Rapace é uma das melhores atrizes jovens da atualidade, no entanto, nunca sentiu nem cheiro de oscar e ainda tem de estar encarar a indicação de uma norte americana que clona a sua atuação num remake para lá de desnecessário. Sobre Viola, vou comemorar muito, mas muiiiiito quando uma de minhas atrizes favoritas ganhar um Oscar por um filme à altura de sua dignidade. E tenho certeza que não vai demorar, já que agora a academia está em déficit com ela - como já esteve com o Denzel Washington, num passado recente. Ainda mais se ela viver Nina Simone, aí eu morro, já pensou? Duas divas! Oscar é assim, sabemos que é treta, mas insistimos, pela fantasia toda da coisa.

    ResponderExcluir
  4. Mesmo o artista tendo ganho continuo com preguiça de assisti-lo... preto e branco e franjinha antiga me dão um cansaço!! #podemexingardeignorante
    kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Ai Dai, Se Viola vencer por Nina Simone, ela vai se tornar mais uma estatística, assim como Meryl esse ano, como mais uma atriz a vencer fazendo biografia, e são quase todos os recentes, vale ressaltar.

    ResponderExcluir