quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Seção CINEMA // Indicados ao Framboesa de Ouro 2011

Essa semana saíram também as indicações ao Framboesa de Ouro, que premia aos supostos piores trabalhos em cinema do ano. Acho sempre a idéia divertida e interessante, mas mal aproveitada, já que poderiam transformar o evento numa cerimônia de TV divertida e engraçada, e eles (a academia organizadora) têm seus pecados e idiossincracias também. Eles gostam muito de chutar cachorro morto, por exemplo, premiar a Paris Hilton toda vez que ela faça uma ponta que seja em algum filme, ou enchem a lista de nomes famosos para dar notícia, se esquecendo de lembrar de trabalhos deveras ruim de muitos famosos.


Seria curioso se eles também indicassem vários dos supostos melhores, já que muita besteira entra na lista do Oscar também. Às vezes eles acertam, como quando premiaram Halle Berry e Sandra Bullock recentemente à Pior Atriz. Elas, providas de muito espírito esportivo e bom humor, foram receber seus prêmios. Vejamos a lista com comentários:


PIOR FILME

- Caçador de Recompensas
- A Saga Crepúsculo: Eclipse
- O Último Mestre do Ar
- Sex and the City 2
- Os Vampiros Que Se Mordam

Os 3 filmes da lista que vi, renderam posts, e neles vocês podem ver que eu não achei Caçador de Recompensas essa droga. Eu até gostei. Achei divertido, apesar de ser senso comum. Muita coisa pior foi pras telas, como Idas e Vindas do Amor, As Viagens de Gulliver, Vida e Morte de Charlie, A Última Canção, Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família, etc. Desses aí, eu suponho que ambos os dos vampiros sejam os piores, mas não duvido que Sex and The City 2 fique com o "troféu".


PIOR DIRETOR

- Sylvester Stallone (Os Mercenários)
- Jason Friedberg e Aaron Seltzer (Os Vampiros Que Se Mordam)
- Michael Patrick King (Sex and the City 2)
- M. Night Shyamalan (O Último Mestre do Ar)
- David Slade (A Saga Crepúsculo: Eclipse)

Stallone é sempre abaixo da crítica. Nos anos 70 catapultaram esse estrupício às estrelas com Rocky, que levou Oscar, mas na verdade merecia era framboesa, e agora a gente tem que agüentar esse xarope até hoje. O filme, inclusive, merecia a categoria principal. Shayamalan tá merecendo o prêmio, mas de certeza que não é o pior diretor da lista.


PIOR ATOR

- Robert Pattinson (A Saga Crepúsculo: Eclipse e Lembranças)
- Taylor Lautner (A Saga Crepúsculo: Eclipse e Idas e Vindas do Amor)
- Jack Black (As Viagens de Gulliver)
- Gerard Butler (Caçador de Recompensas)
- Ashton Kutcher (Par Perfeito e Idas e Vindas do Amor)

Tirando Butler, todos são mesmo ruins. Butler despontou com Querido Frankie, que é belo, singelo, e depois virou astro com 300, que já é ruim, e até hoje nunca mais fez um filme realmente bom, então entrou na lista mais por esse motivo, creio. Mas eu o trocaria pelo Zac Efron em Vida e Morte de Charlie ou pelo elenco estelar de Os Mercenários. Eu votaria entre os dois adolescentes, mas por Eclipse.


PIOR ATRIZ

- Kristen Stewart (A Saga Crepúsculo: Eclipse)
- Jennifer Aniston (Caçador de Recompensas e Coincidências do Amor)
- Miley Cyrus (A Última Música)
- Megan Fox (Jonah Hex - Caçador de Recompensas)
- Sarah Jessica Parker, Kim Cattral, Kristin Davis e Cynthia Nixon (Sex and the City 2)

Aí que a gente vê como a lista passa do ponto da brincadeira e cai mais na perseguição, na maldade. As 4 de Sex and The City 2 não deveriam ser indicadas todas de uma vez. Se elas fossem tão ruins assim (que não é o caso), deveriam cada uma concorrer separadamente. Assim como vocês puderam também reparar que muitos concorrem por mais de um filme. Ou seja, por pura maldade, para simplesmente depreciar o artista. Jennifer Aniston interpreta variações da Rachel nos dois filmes, mas em nenhum deles ela faz um mau trabalho. Megan e Miley são cachorro morto. Nem tem graça premiar. Então só sobra a Bella... Mas acredito que a vencedora será Jennifer Aniston mesmo, que creio que deverá ir receber o prêmio, assim como Sandy Bullock e Halle Berry, pois tem senso de humor suficiente para tal.



PIOR ATRIZ COADJUVANTE

- Jessica Alba (O Assassino em Mim, Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família, Machete e Idas e Vindas do Amor)
- Cher (Burlesque)
- Liza Minnelli (Sex and the City 2)
- Nicola Peltz (O Último Mestre do Ar)
- Barbra Streisand (Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família)

Barbra, Cher e Liza numa lista só? Não sei como ainda não teve um quebra-pau maior que Stonewall! Só faltou Madonna e Mariah completando a lista, outras duas queridas deles. Jessica já virou outra que não pode fazer nada que vira logo chacota. Ela faz muita coisa ruim, mas nem é tão má atriz assim. Cher e Liza entraram por puro despeito. Cher nem tá ruim em Burlesque, e Liza não faz absolutamente nada no filme para merecer crítica que seja. Barbra me parece ser a pior mesmo, uma escolha bem interessante. Será que vão ter peito pra premiar?



PIOR ATOR COADJUVANTE

- Billy Ray Cyrus (Missão Quase Impossível)
- George Lopez (Marmaduke, Missão Quase Impossível e Idas e Vindas do Amor)
- Dev Patel (O Último Mestre do Ar)
- Jackson Rathbone (O Último Mestre do Ar e A Saga Crepúsculo: Eclipse)
- Rob Schneider (Gente Grande)

Dev Patel é bem fraquinho, e nem se destacou em Quem Quer Ser Um Milionário? e era a pior coisa do ótimo seriado inglês Skins. George Lopez é um coitado... Crente que é engraçado. Billy Ray e Jackson entraram por pura perseguição. Rob Schneider é fraco, mas não sei se o suficiente pra entrar na lista. Eu votaria no anglo-indiano, mas acho que o Billy Ray deve levar.


PIOR USO DE 3D

- Como Cães e Gatos 2
- Fúria de Titãs
- O Último Mestre do Ar
- O Quebra-Nozes 3D
- Jogos Mortais: O Final

Ótima categoria. Taí uma novidade mais do que acertada, diante da febre do tridimensional que assolou mais nossos cinemas do que os estacionamentos de shopping nos anos 80. Mas cadê Piranhas 3D? E Avatar? Enfim... Jogos Mortais merece o prêmio pela ganância. Fizeram um bom primeiro filme, mas continuaram com uma infinidade de seqüências por pura usúria.



PIOR CASAL EM CENA/ PIOR ELENCO

- Jennifer Aniston e Gerard Butler (Caçador de Recompensas)
- Josh Brolin e Megan Fox (Jonah Hex - Caçador de Recompensas)
- Elenco inteiro (A Saga Crepúsculo: Eclipse)
- Elenco inteiro (Sex and the City 2)
- Elenco inteiro (O Último Mestre do Ar)

Já essa categoria é maldade inteira. Nem vontade de opinar dá. Numa olhada rápida, sem pensar muito, só seguindo os instintos, votaria em Crepúsculo. Mas dar prêmio a Crepúsculo é só para poder irritar meninas adolescentes para que elas façam vídeo e coloquem no YouTube. Ainda mais numa categoria tão mesquinha quanto essa.


PIOR ROTEIRO

- O Último Mestre do Ar
- Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família
- Sex and the City 2
- A Saga Crepúsculo: Eclipse
- Os Vampiros Que Se Mordam

Essa seria uma lista mais justa para Pior Filme. Essa categoria Sex and The City 2 mereceria levar, mas a competição é pesada, só os dos vampiros que se mordam que não mereceria por ser um filme de puro deboche mesmo. Além de ser café pequeno também.


PIOR SEQUÊNCIA, REMAKE, PREQUEL OU DERIVADO

- Fúria de Titãs
- O Último Mestre do Ar
- Sex and the City 2
- A Saga Crepúsculo: Eclipse
- Os Vampiros Que Se Mordam

Todos ruins mesmo. Fúria, Sex e Eclipse merecem demais a "honraria". Jogos Mortais ficou faltando na lista também. Seria uma boa incluir True Grit na lista... Mostraria um pouco de ousadia dessa "Academia"...



Vejamos quais serão os resultados dia 26 de fevereiro. Tomara que sejam menos covardes com os resultados do que com as indicações!


UPDATE (26/2): E eis que saíram os resultados. Vejamos:

Pior Filme
O Último Mestre do Ar
Não vi, nem pretendo.

Pior Diretor
M. Night Shyamalan (O Último Mestre do Ar)
Tava merecendo. Tava pedindo faz tempo.

Pior Ator
Ashton Kutcher (Par Perfeito e Idas e Vindas do Amor)
Meio tecla batida, né? Todo mundo sabe que ele é fraco.

Pior Atriz
Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Cynthia Nixon e Kristen Davis (Sex and the City 2)
Exagero.

Pior Ator Coadjuvante
Jackson Rathbone (O Último Mestre do Ar e A Saga Crepúsculo: Eclipse)
Difícil julgar, mas acho difícil ele ser pior que o Dev.

Pior Atriz Coadjuvante
Jessica Alba (O Assassino em Mi, Entrando numa Fria Maior Ainda com a Família, Machetee Idas e Vindas do Amor)
Outro exagero.

Pior Roteiro
O Último Mestre do Ar
Resultado chocante...

Pior Casal ou Elenco
Elenco de Sex and the City 2
Mais um exagero.

Pior Prelúdio, Remake, Sequência ou Plágio
Sex and the City 2
Esse foi até merecido, mas tem coisa pior por aí.

Pior 3D de Arrancar os Olhos
O Último Mestre do Ar
Eu suponho que seja pior que Piranhas 3D, porque esse outro ao menos tem senso de humor. Tanto que nem indicado foi.


Considerações finais: Se o Oscar não muda, o Framboesa também não. Continua com seus poucos acertos esporádicos aqui e ali, mas com o mesmo medo de cutucar onça com vara curta, o que só faz dela uma premiação interessante no papel, o que na prática já é bem diferente.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Seção CINEMA // Indicados ao Oscar 2011

A Academia tem ficado cada ano mais estranha. Ou será só impressão minha? Enfim, hoje saiu a lista dos indicados, e várias ausências por mim foram sentidas, vou colocando abaixo da lista das categorias os meus comentários e no fim minhas considerações finais:


Melhor Filme
Cisne NegroO VencedorA Origem
Minhas Mães e Meu Pai • O Discurso do Rei
127 Horas • A Rede Social • Toy Story 3
Bravura Indômita • Inverno da Alma

Já vi os 10, e só gosto mesmo de 4 (Cisne Negro, O Discurso do Rei, A Origem e Toy Story 3), outros são assistíveis. Não entendi Inverno da Alma na lista. Francamente.

Meu voto: Toy Story 3 (A Origem e Cisne Negro também me alegrariam)
Quem vai ganhar: A Rede Social

Melhor Diretor
Darren Aronofsky (Cisne Negro)
David O. Russell (O Vencedor )
Tom Hooper (O Discurso do Rei)
David Fincher (A Rede Social)
Joel Coen e Ethan Coen (Bravura Indômita)

O que se passa na mente desse pessoal que deixaram de fora o Christopher Nolan? Algum deles seria capaz de conceber e dirigir A Origem? E pelo jeito os Coen podem fazer a porcaria que quiserem que serão sempre indicados a alguma coisa...

Meu voto: Darren Aronofsky (e Christopher Nolan num quadrinho extra abaixo escrito a mão)
Quem vai ganhar: David Fincher

Melhor Ator
Javier Bardem (Biutiful)
Jeff Bridges (Bravura Indômita)
Jesse Eisenberg (A Rede Social)
Colin Firth (O Discurso do Rei)
James Franco (127 Horas)

Adorei ver Javier Bardem lembrado, mais ainda tô pra ver Biutiful. Colin Firth deveria ter vencido ano passado, e mesmo esse ano ele parece ser o melhor deles também. Sentindo falta de Leonardo DiCaprio....

Meu voto: Colin Firth
Quem vai ganhar: Colin Firth

Melhor Atriz
Annette Bening (Minhas Mães e Meu Pai)
Nicole Kidman (Reencontrando a Felicidade)
Jennifer Lawrence (Inverno da Alma)
Natalie Portman (Cisne Negro)
Michelle Williams (Namorados para Sempre)

A lista mais óbvia também. Annette já foi indicada várias vezes e nunca levou. É uma atriz experiente e que merece muito ganhar. Mas não por esse filme... Nicole está esplendorosa e bem melhor que em As Horas. Natalie Portman é a alma de Cisne Negro, está excelente, e é também a favorita, mas tudo pode acontecer, mesmo. Eu ainda a preferi em Closer, pelo qual ela deveria ter vencido há 6 anos atrás.

Meu voto: Nicole Kidman
Quem vai ganhar: Natalie Portman

Melhor Ator Coadjuvante
Christian Bale (O Vencedor)
John Hawkes (Inverno da Alma)
Jeremy Renner (Atração Perigosa)
Mark Ruffalo (Minhas Mães e Meu Pai)
Geoffrey Rush (O Discurso do Rei)

Andrew Garfield ficou de fora, mas é uma lista justa. Gostei ainda mais pelo Justin Timberlake ter jogado fora seus 2 milhões de dólares investidos em marketing pessoal para abocanhar uma indicação. Ficou a ver navios.

Meu voto: Geoffrey Rush
Quem vai ganhar: Christian Bale

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams (O Vencedor)
Helena Bonham Carter (O Discurso do Rei)
Melissa Leo (O Vencedor)
Hailee Steinfeld (Bravura Indômita)
Jacki Weaver (Reino Animal)

Tenho minhas ressalvas com relação à menina Hailee. Atrizes infanto-juvenil sempre são lembradas, vide Saoirse Ronan, Abigail Breslin e Keisha Castle-Hughes em anos recentes, e desde Anna Paquin que nenhuma leva, então pode ser que Hailee surpreenda. Tudo bem que Mila Kunis não tem grandes cenas em Cisne Negro, mas tirando uma briga na porta de casa da Amy Adams, nenhuma das outras também tem. A Melissa tem o melhor papel de longe, mas ela tá totalmente caricata. Mila deveria ter sido lembrada, só não sei exatamente no lugar de quem.

Meu voto: Jacki Weaver
Quem vai ganhar: Melissa Leo

Melhor Roteiro Adaptado
127 Horas (Danny Boyle e Simon Beaufoy)
A Rede Social (Aaron Sorkin)
Toy Story 3 (Michael Arndt, John Lasseter, Andrew Stanton e Lee Unkrich)
Bravura Indômita (Joel Coen e Ethan Coen)
Inverno da Alma (Debra Granik e Anne Rosellini)

Reencontrando a Felicidade (Rabbit Hole) deveria ter sido lembrado. Sem mais...

Meu voto: Toy Story 3
Quem vai ganhar: A Rede Social

Melhor Roteiro Original
Another Year (Mike Leigh)
O Vencedor (Scott Silver, Paul Tamasy, Eric Johnson)
A Origem (Christopher Nolan)
Minhas Mães e Meu Pai (Lisa Cholodenko e Stuart Blumberg)
O Discurso do Rei (David Seidler)

Esse parece ser o prêmio de consolação pro Christopher Nolan, mas eu não duvido que a Academia premie O Discurso do Rei ou Minhas Mães e Meu Pai. O Vencedor pode surpreender. Cisne Negro? Onde entrou? Mike Leigh é tipo Woody Allen, sempre o indicam pra fazer número, pra dizer que gostam dele, só por ele ser cult, e poderem posar de inteligentes.

Meu voto: A Origem
Quem vai ganhar: A Origem

Melhor Animação Longa-Metragem
Como Treinar O Seu Dragão
O Mágico
Toy Story 3

Ainda não vi o francês O Mágico, mas parece ser ótimo. Os outros dois são excelentes, mas Toy Story é o melhor filme do ano.

Meu voto: Toy Story 3
Quem vai ganhar: Toy Story 3

Melhor Filme Estrangeiro
Biutiful (México)
Dogtooth (Grécia)
In a Better World (Dinamarca)
Incendies (Canadá)
Outside the Law (Argélia)

Lula ficou de fora... Ô dó!

Meu voto: Ainda não vi nenhum...
Quem vai ganhar: Biutiful

Melhor Direção de Arte
Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
A Origem
O Discurso do Rei
Bravura Indômita

Alice pode ser bem meia-boca, mas visualmente é impecável. Senti falta de Tron, outro filme visualmente belo.

Meu voto: Alice
Quem vai ganhar: Alice


Melhor Fotografia
Cisne Negro
A Origem
O Discurso do Rei
A Rede Social
Bravura Indômita

Já que foi vilipendiado nas categorias principais, devem dar o máximo de prêmios técnicos para A Origem. Mesmo assim, são prêmios merecidos.

Meu voto: A Origem
Quem vai ganhar: A Origem

Melhor Figurino
Alice no País das Maravilhas
I Am Love
O Discurso do Rei
The Tempest
Bravura Indômita

Alice realmente é muito superior aos demais nesse quesito.

Meu voto: Alice
Quem vai ganhar: Alice

Melhor Montagem
Cisne Negro
O Vencedor
O Discurso do Rei
127 Horas
A Rede Social

A Origem, Scott Pilgrim e Tron de fora? O que tem demais nas edições de A Rede Social, O Discurso do Rei e O Vencedor?

Meu voto: Cisne Negro
Quem vai ganhar: A Rede Social

Melhor Trilha Sonora Original
Como Treinar o Seu Dragão
A Origem
O Discurso do Rei
127 Horas
A Rede Social

O Discurso do Rei mescla a bela trilha de Alexandre Desplat com hinos da música clássica e merece o reconhecimento, mas o pessoal já tá no piloto automático pra votar em A Rede Social. Faltou Cisne Negro novamente...

Meu voto: O Discurso do Rei
Quem vai ganhar: A Rede Social

Melhor Canção Original
Coming Home (Country Strong)
I See the Light (Enrolados)
If I Rise (127 Horas)
We Belong Together (Toy Story 3)

Essa categoria já deixou de ser boa faz tempo. Quando surgiu uma boa canção em anos recentes, eles fizeram ouvido de mercador, vide Bruce Springsteen, paul McCartney, Eddie Vedder, Emmylou Harris, Mick Jagger, entre outros, e esse ano deixaram a Diane Warren de fora de novo. Ano passado não apresentaram as indicadas, e esse ano tomaram que repitam a dose, porque aguentar Gwyneth cantando é dose!

Meu voto: I See The Light
Quem vai ganhar: Não sei!

Melhor Edição de Som
A Origem
Toy Story 3
Tron - O Legado
Bravura Indômita
Incontrolável

Tron só foi lembrado nessa categoria, mas merecia outras menções técnicas. É perfeito visualmente, apesar do roteiro bem mediano. Incontrolável é um ótimo filme de ação, me diverti. Legal ter sido lembrado em alguma coisa.

Meu voto: Tron
Quem vai ganhar: A Origem

Melhor Mixagem de Som
A Origem
O Discurso do Rei
Salt
A Rede Social
Bravura Indômita

Eu não sei distinguir mixagem para edição de som. Era muito mais fácil quando as categorias se chamavam melhor som e melhores efeitos sonoros.

Meu voto: A origem
Quem vai ganhar: A Origem

Melhores Efeitos Visuais
Alice no País das Maravilhas
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
Além da Vida
A Origem
Homem de Ferro 2

Essa categoria é toda de A Origem. Tron merecia estar aí também. Mais do que Alice e Homem de Ferro 2 (que é péssimo). Além da Vida (do Clint Eastwood) é tão tedioso que eu não consegui odiar ou gostar, só ignorar mesmo, e não escrever nenhum comentário sobre. A única cena interessante é justamente o tsunami, que deve ter dado essa indicação ao filme.

Meu voto: A Origem
Quem vai ganhar: A Origem


Categoria que não conheço nenhum indicado:

Melhor Maquiagem

A Minha Versão para o Amor
Caminho da Liberdade
O Lobisomem

Melhor Animação Curta-Metragem
Day & Night
The Gruffalo
Let's Pollute
The Lost Thing
Madagascar - A Journey Diary

Melhor Documentário Longa-Metragem
Exit through the Gift Shop
Gasland
Inside Job
Restrepo
Lixo Extraordinário

Melhor Documentário Curta-Metragem
Killing in the Name
Poster Girl
Strangers No More
Sun Come Up
The Warriors of Qiugang

Melhor Curta-Metragem
The Confession
The Crush
God of Love
Na Wewe
Wish 143


Numa análise geral eu senti muita falta de Ilha do Medo, Scott Pillgrim, O Golpista do Ano e O Escritor Fantasma. Burlesque talvez merecesse ser lembrado em Direção de Arte e Figurinos, mas devem ter achado muito cópia barata, o que não deixa de ser um argumento válido, mas com certeza que Diane Warren deveria ter entrado na lista de canção. Splice poderia ter sido lembrado nas categorias técnicas.

Seção CINEMA // Crítica Sex And The City 2

Ricos, Bonitos e Infiéis

Sex And The City 2

Nota: 5,0


Esse ano eu decidi assistir vários seriados de TV completos, e Sex and The City estava entre eles. E devo confessar que gostei muito dele. Tirando a parte da Sonia Braga... E também começa melhor do que termina, temos que concordar. Mas os filmes são muito, muito fracos. O primeiro já foi um fiasco, e eu não entendi bem o porquê de fazê-lo. Muito menos de se fazer uma seqüência. Eu só decidi ver agora que acabaram de sair as indicações ao Framboesa de Ouro, e ele está lá entre os principais concorrentes, e aí a curiosidade bateu forte. O seriado tinha conflitos, mas o filme é pura ostentação. Admiração da riqueza. Aposto que foi caríssimo, porque em cada cena há um novo cenário que parece ter custado horrores. Cada close é uma grife, um sapato, uns óculos, uma blusa, um lenço Hermès voando. Além dos salários milionários das dondocas, que praticamente vivem do que rende o seriado ainda, porque nunca mais fizeram algo de relevante, com exceção da breve passagem da Cynthia Nixon pela Broadway, em Rabbit Hole, que Nicole Kidman acabou de adaptar no cinema.

Dessa vez tem uma viagem para o exótico oriente. E quando se chega lá, qual a primeira coisa que se faz? Ir para uma feira gastar. Com uma blusa fazendo propaganda do perfume J’Adore da Dior. Aquele que a Charlize Theron era garota propaganda. Lá a Carrie compra sapatos e dá de cara com o Aidan, aquele ex que ela nunca deveria ter largado, e como castigo terminou com o chauvinista do Big, que agora tem até nome, é John James Preston.

Charlotte continua insuportável como sempre, passando o filme inteiro resmungando de ciúme do marido feioso com a babá. Miranda não tem conflito nenhum, só passeia pela trama. Samantha tá na menopausa, e seus hormônios são confiscados na alfândega, mas ainda assim nenhuma piada engraçada saiu da situação. E Carrie lida com a dificuldade de manter o casamento “jovem”. Acho que ela já devia ter dado uma olhada ao redor e ver que essa é uma batalha meio perdida.

Os momentos realmente engraçados do filme ficam mesmo com a Samantha. Sempre ela. Lógico que uma pessoa sexualmente expansiva como ela jamais poderia se manter longe de problemas no oriente médio. Carrie continua sendo pintada como uma mulher diferente, como o Aidan não cansa de dizer. Diferente do quê? É só mais uma na multidão totalmente manipulada pelo capitalismo, que faz de um tudo por um sapato novo.

Ainda tentaram disfarçar o vazio da ostentação com uma cena ou outra com uma discussão que poderia vir a ser interessante, como quando Charlotte e Miranda relatam que ser mãe não completa a vida de ninguém, ou as indiretas sobre as mulheres terem que aderir ao sobrenome do marido ao casarem, mas esses não são os momentos que farão ninguém se lembrar do filme.

Até o casamento gay é visto puramente do ponto visto materialista, com uma festa caríssima, com todo o catálogo de modelos masculinos de NY enfeitando o ambiente, cantores da Broadway fazendo coral, riacho, cisnes, e até Liza Minelli de juiz de paz. A pobre da Liza ainda paga mico depois fazendo cover da Beyoncé. Aí eu já tava esperando Cher entrar ecoando If I Could Turn Back Time ou Barbra com Don’t Rain On My Parade, mas só veio a Penélope Cruz mesmo fazendo uma pontinha. Depois a Hannah Montana.

Tem alguns daqueles momentos Samantha, em que homens são objetificados, como na cena do time de rúgbi australiano na piscina, o que não deixa de ser um avanço da igualdade entre os gêneros, porque normalmente seriam cheerleaders bem serelepes seduzindo, já que essa é a norma aceita pela sociedade, mas ainda assim o resultado fica muito mais homoerótico do que um momento de fantasia feminina.

Em resumo, Abu Dhabi ficou mais como um destino para aquela coisa America’s Next Top Model, de como vender grife em ambientes remotos, introduzir o fashion no diferente (na verdade, como adaptar o diferente no modelo pré-existente de fashion), e colocar muita música de dança do ventre de fundo. Ir passear no meio do deserto e armar uma tenda, cheia de almofadas caríssimas, e tomar champanhe e comer macaroons. Faltou Tyra Banks coordenando aqueles ensaios fotográficos pra uma modelo ficar linda vendendo maquiagem em cima de um elefante na selva, ou fazendo pose em um camelo na areia movediça. Só no finzinho que eles colocam um pouco do choque cultural, para, obviamente, mostrar como é melhor viver na América.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Seção CINEMA // Comentários sobre o Globo de Ouro e Critics' Choice Awards 2011

Com algum atraso eu posto meus comentários sobre o Globo de Ouro e o Critics Choice Awards. Essas semanas eu andei viajando e só agora pude parar pra escrever e postar a respeito. Os Globos foram bem previsíveis. Nada de inesperado ou surpreendente, e foi apresentando novamente pelo comediante inglês Ricky Gervais.

Ricky Gervais. Venenoso. Como sempre. Com suas frases bem no estilo “Se colar, colou. Qualquer coisa eu tava só brincando”. Falou mal de todo mundo. Adoro. Falou que O Turista é muito ruim pra ser indicado. Disse que o pôster de Sex and The City 2 merecia prêmio de efeitos especiais. Chamou Bruce Willis de pai do Ashton Kutcher. Chamou Sylvester Stallone de limitado. Chamou Hugh Hefner de “walking dead”. Chamou Tom Cruise e John Travolta de gays. Quer dizer, isso daí nem é falar mal...

Adorei o discurso irônico do Robert DeNiro, que recebeu o prêmio especial pela carreira, falando sobre o tratamento dado aos estrangeiros nos EUA. E engraçado como tantos gays (e afins) foram premiados. Jane Lynch, Chris Colfer, Glee, Temple Grandin, Jim Parsons, Burlesque, Minhas Mães e Meu Pai (apesar dos pesares), Annette Benning na lista. É tipo quando o Oscar premiou Halle Berry e Denzel Washington em 2002.

Quanto aos prêmios... Acho que só uns poucos me agradaram. Como sempre... Eu pareço uma tia velha resmungona, mas premiações são assim. Vejamos os prêmios:

Melhor Drama: A Rede Social
Apesar de adorar Cisne Negro, acho que votaria na ousadia de A Origem. Michael Douglas, se recuperando do câncer, ovacionado entregando o prêmio.

Melhor Comédia: Minhas Mães e Meu Pai
Um desastre a categoria. Só indicaram bomba. Eu votaria em Amor e Outras Drogas, escrito a mão embaixo da lista dos cinco.

Diretor: David Fincher por A Rede Social
Christopher Nolan por mim venceria tudo, mas colocaram na cabeça que A Rede Social é o filme do ano, então que o seja.

Ator Drama: Colin Firth por O Discurso do Rei
Colin devia ter ganhado o ano passado. Premiações têm muito disso de reparar um erro em anos seguintes, muitas vezes fazendo outro. Ele estava bem melhor em Direito de Amar, mas também não acredito que tenha sido um erro dessa vez.

Atriz Drama: Natalie Portman por Cisne Negro
Merecidíssimo. Mas um discurso bem sem graça e cheio de comentários embaraçosos. Gosto demais da Nicole também. Torço para que ela ganhe pelo menos algum prêmio.

Ator Comédia: Paul Giamatti por Barney’s Version
Acho que eu votaria no Jake Gyllenhaal. O Paul é ótimo ator, mas ele faz umas coisas bem meia-boca que chamam de filme Cult, como eu suspeito que esse seja.

Atriz Comédia: Annette Benning por Minhas Mães e Meu Pai
Já disse que não gosto do filme, e que Annette e Julianne são muito superiores a ele. Votaria na Emma Stone, fácil.

Ator Coadjuvante: Christian Bale por O Vencedor
Eu gosto do Christian, mas tudo naquele filme é tão exagerado e caricato que meu voto ia fácil pro Geoffrey Rush.

Atriz Coadjuvante: Melissa Leo por O Vencedor
O discurso da Melissa foi uma das coisas mais vergonha-alheia que eu vi em premiações. Nem Marion Cotillard ganhando o Oscar surtou tanto... Meu voto ia pra Helena Bonham Carter em Harry Potter ou Alice no País das Maravilhas. Mas ela não foi indicada por esses... Então eu votaria na Jacki Weaver.

Melhor Roteiro: A Rede Social
Sinceramente, esse é o filme mais chato de todos os filmes do Aaron Sorkin que eu já vi. Questão de honra é muito melhor.

Melhor Canção Original: “You Haven’t Seen The Last of Me” de Burlesque
É a melhor coisa do filmeco (que cada dia que passa eu gosto menos). Diane Warren pelo menos é ótima e já merecia ter levado algum faz um tempinho.

Melhor Trilha Sonora: A Rede Social
Quando colocam uma coisa na cabeça eles vão longe... Eu votaria no Alexander Desplat por O Discurso do Rei ou no Hans Zimmer por A Origem.

Melhor Animação: Toy Story 3
O melhor filme do ano. Por mim ele, Cisne Negro ou A Origem ganharia o Oscar (de melhor filme). Hailee Steinfeld linda apresentando, e o Justin Bieber um mala, pra variar...

Melhor filme estrangeiro: In a Better World da Dinamarca
Achei todos interessantes pelos trailers, mas não vi nenhum ainda. Ricky Gervais devia ganhar uma dúzia de globos de ouro só pela piada ao dizer que ninguém nos EUA se importa com essa categoria.

Melhor Série Drama: Boardwalk Empire
Delas eu só vejo Mad Men, que ganhou tudo que é prêmio antes, mas esse ano perdeu.

Melhor Série Comédia: Glee
Ai, credo. Todas as outras melhores, especialmente Modern Family.

Ator Drama: Steve Buscemi por Boardwalk Empire
John Hamm teria ganho por mim. Já disse que adoro Mad Men e essa temporada foi feita pra ele brilhar. Nota a parte pra Milla Jovovich que tava pra lá de careteira apresentando o prêmio. Ela devia estar usando a calcinha vibratória da Katherine Heigl em A Verdade Nua e Crua.

Atriz Drama: Katey Segal por Sons of Anarchy
Nunca vi o seriado da Katey, então eu votaria na Elizabeth Moss, já que eu adoro Mad Men, e ela nunca ganhou nada por ele.

Ator Comédia: Jim Parsons por The Big bang Theory
Jim Parsosn é o homem do momento pelo jeito. Eu nunca vi a série. Sempre achei muito nerd pra mim. Mas pelo menos fiquei feliz por Glee não ganhar tudo! Por falar em ganhar tudo, a cara de c* do Alec Baldwin na platéia foi meio avarenta demais, depois de ganhar zilhões de prêmios por 30 Rock...

Atriz Comédia: Laura Linney por The Big C
Laura é sempre soberba, mas já vejo tanta série que não quero ver mais nenhuma pra não perder mais tempo. Mas acho mesmo se a visse, eu votaria nela mesmo.

Melhor Filme ou Minissérie de TV: Carlos
Nunca vi nenhum, mas Carlos e Temple Grandin são os que me chamam atenção. Spielberg que me perdoe, mas não tem quem mais agüente guerra, por isso nunca votaria em The Pacific.

Ator de Filme ou Minissérie de TV: Al Pacino por You Don’t Know Jack
Al Pacino já tem uns 70 e cocada, essa era sua 15ª indicação e quarta vitória. Ele ainda precisa de mais prêmio? Seria bom pra qualquer um dos outros ganharem mais visibilidade, principalmente o venezuelano Edgar Ramírez.

Atriz de Filme ou Minissérie de TV: Claire Danes por Temple Grandin
Vence a destruidora de lares oficial de Hollywood. Falam tanto de Angelina, mas quem separou um casal com uma grávida de oito meses? E ainda deu um pé na bunda dele depois pra casar com o Hugh Dancy. [Moralismo mode off] Dizem que o filme é ótimo. Ainda não vi, mas me parece bem interessante.

Ator coadjuvante de TV: Chris Colfer por Glee
Que me perdoe quem gosta de Glee, mas todo personagem ali é pura caricatura. Não há profundidade nem nada que mostre quem alguém é bom ao interpretá-los. Eric Stonestreet pela ótima Modern Family seria meu voto.

Atriz coadjuvante de TV: Jane Lynch por Glee
Jane é o que há de melhor em Glee, mas ela venceu por não ter vencido ano passado. Eu votaria na Sofia Vergara, que é a minha personagem preferia de Modern Family.


Eu nunca falo aqui sobre moda nesses eventos, mas me o que me chamou atenção foi como Angelina Jolie e Anne Hathaway estavam lindas. Quer dizer, isso não é novidade, mas o que me dói dizer é que estavam com vestidos de manga comprida com ombreira, que são o que há de mais feio dos anos 80. Eles estão voltando mesmo, pelo jeito. Talvez por esse motivo tive que abrir esse parêntese. Angelina com cara de anos 80... Praticamente a Kelly LeBrock. Jennifer Lopez também estava linda. Helena Bonham Carter merecia um beijo por ter ido fantasiada de bruxa. Adorei.


Já os Critics' Choice eu não vi, pois estava no Brasil e lá não foi televisionado. Então posto só a lista dos premiados:


Melhor Filme
A Rede Social

Melhor Diretor
David Fincher por A Rede Social

Melhor Ator
Colin Firth por O Discurso Do Rei

Melhor Atriz
Natalie Portman por Cisne Negro

Melhor Ator Coadjuvante
Christian Bale por O Vencedor

Melhor Atriz Coadjuvante
Melissa Leo por O Vencedor

Melhor Roteiro Original
O Discurso Do Rei de David Seidler

Melhor Roteiro Adaptado
A Rede Social de Aaron Sorkin

Melhor Direção De Arte
A Origem de Guy Dyas

Melhor Fotografia
A Origem de Wally Pfister

Melhor Figurino
Alice no País das Maravilhas de Colleen Atwood

Melhor Montagem
A Origem de Lee Smith

Melhor Maquiagem
Alice No País Das Maravilhas

Melhor Trilha Musical
A Rede Social de Trent Reznor & Atticus Ross

Melhor Mixagem De Som
A Origem

Melhor Efeitos Visuais
A Origem

Melhor Canção
“If I Rise” de 127 Horas

Melhor Filme De Animação
Toy Story 3

Melhor Filme Estrangeiro
Os Homens Que Não Amavam As Mulheres da Alemanha

Melhor Documentário
Waiting For ‘Superman’ de Davis Guggenheim

Melhor Elenco
O Vencedor

sábado, 15 de janeiro de 2011

Seção CINEMA // Críticas de janeiro - Parte 1

Esse domingo já tem Globo de Ouro e eu dei uma conferida na maioria dos filmes indicados pra dar minha opinião e poder dar meus palpites com mais segurança. Alguns eu não curti muito e não tive muita inspiração pra escrever um post inteiro, então fiz uma série de posts comentando 3 filmes. Eis o primeiro grupo:



Onde Os Fracos Não Tem Vez


Bravura Indômita // True Grit

Nota: 6,0


Esse é daqueles filmes que quanto mais o tempo passa, menos a gente gosta. Eu já sou um desafeto declarado de faroestes, ou westerns. Acho sua grande maioria extremamente racista e moralista. Toda aquela coisa de brancos heróicos e bandi- dos latinos ou índios me dá náuseas. Esse daqui não tem isso, mas mesmo assim não me agradou tanto. O título na- cional esquistóide pouco ajuda. É uma refilmagem do filme homônimo dos anos 60 com o John Wayne (na verdade o próprio filme dos anos 60 já era uma adaptação de um livro também homônimo), que quase tudo que vi dele me aponta que ele era um sujeito deplorável, mas dizem que ele não era racista, pois se casou sempre com latinas. Partindo desse ponto de vista só gays seriam machistas, já que todo hétero casa com mulher, e Clodovil não teria sido um homófobico...

Os irmãos Cohen decidiram então fazer esta versão que em teoria seria mais fiel ao livro. Não vi o original, que foi feito para o John Wayne, ao invés da menina protagonista, e sinceramente não tenho grande vontade de conferir, mas suspeito que essa refilmagem não traga grande novidade à história. Acho que remakes são interessantes quando se há uma mudança na estrutura do filme, como em Hairspray e agora com Footloose (que já estou tentando não alimentar grandes expectativas).

A história é sobre uma menina de 13 anos que acaba de perder o pai assassinado e contrata um caçador de recompensas para vingar seu pai, já que ela desacredita na polícia da época. O filme tem sido reconhecido em algumas premiações, principalmente a menina Hailee Steinfeld, mas sempre como coadjuvante. A Hailee é tipo uma Brooke Shields um dedo menos bonita e duas mãos mais talentosa. Ela ficou de fora do Globo de Ouro, porque aparentemente desde o piti que o Haley Joel Osment deu em 2000, eles não mais indicam menores de idade, mas tem sido lembrada em todas as outras premiações, e creio que estará na lista do Oscar.

Mas achei a personagem muito inverossímil para uma menina de 13 anos. Muito arrogante e precoce. Então não sei ao certo se a personagem foi escrita para ser assim mesmo, ou seja sobre-atuada pela menina. Ainda no elenco tem o Jeff Bridges, de novo fazendo um coroa decadente que fala pra dentro, e o Matt Damon, além do Josh Brolin, quase fazendo figuração.







Aos Trancos e Barrancos


O Vencedor // The Fighter


Nota: 6,0


Boxe, e quaisquer outras lutas do tipo, é uma coisa tão primitiva aos meus olhos. De tantos esportes que existem por aí, só alguma involução consegue me explicar o porquê de alguém querer se estapear com outrem em um rinque. Enfim... Eis mais uma cinebiografia, aquela história de superação e coragem, raça, força, de gente guerreira, zzz... Um papel que o Mark Whalberg vem se preparando há anos, e pelo jeito passou do ponto. Fisicamente ele seria perfeito para o papel na época que cantava de cueca na MTV ou era astro pornô superdotado em filme do Paul Thomas Anderson. Mas mesmo assim ele se empenhou em fazer das cenas de luta as mais realistas possíveis, e muitas vezes abusam da estética de transmissão esportiva de TV.

Ele é um lutador de boxe treinado pelo irmão, um viciado em crack que jogou a carreira fora e então passou a viver seus sonhos pelo irmão, é empresariado pela mãe estabanada e se apaixona por uma barman (ou barwoman? Como é o termo? Até porque em inglês é bartender para ambos os gêneros...) que vai de encontro aos interesses da família trapo. Então a gente acompanha a queda e ressurgimento da sua carreira diante da zona que é a vida familiar dele.

Na verdade o filme parece uma cópia exagerada de algum filme do Aronofsky, como O Lutador. Tão exagerada que ultrapassa a linha do drama e cai muitas vezes no caricato. Quase novela mexicana. A família cafona do Mark, em especial a mãe e as irmãs inúteis, condecora ainda mais essa constatação. Se bem que a Amy Adams, como o par romântico, também não é nenhuma Lady Di. O elenco tem sido lembrado nas premiações, em especial os coadjuvantes. Christian Bale e Melissa Leo, como o irmão e a mãe, parecem ser os mais fortes concorrentes das suas categorias, enquanto Amy Adams coleciona mais uma indicação. Forte concorrente às indicações de filme, direção e roteiro também, além de mais algumas menores. Mark Whalberg corre por fora na categoria de protagonista.




Os Bons Companheiros

Reino Animal // Animal Kingdom


Nota: 6,0

Normalmente filmes sobre máfia, traficantes e o submundo do crime em geral, têm que ser bem movimentados para me manterem interessado. Apedrejem-me, mas acho a trilogia do Poderoso Chefão sonolenta de tão longa e parada. Esse daqui consegue ter um ritmo parecido, mas é bem menos longo, e também não é nenhuma obra prima. Esse é um filme australiano sobre uma família criminosa do subúrbio de Melbourne. Após sua mãe morrer de overdose de heroína, jovem rapaz acaba sendo imerso no mundo subversivo da sua família materna, repleta de criminosos sociopatas, e liderada por uma matriarca aparentemente carinhosa, mas tão fria e cruel quanto os demais, e que na verdade também não consegue manter controle em nada, e que são seguidos de perto pelo policial interpretado pelo Guy Pearce.

Um dos fortes filmes da temporada para as categorias de atriz coadjuvante, para a veterana Jacki Weaver, e roteiro. Na verdade eu não entendi bem nenhuma das duas indicações até o filme chegar ao seu terço final, quando as coisas de fato começam a acontecer num ritmo mais acelerado, apesar de não chegar a ser eletrizante em momento algum. Antes disso ele é lento e monótono, e os diálogos não são exatamente primorosos ou tarantinescos que possam nos deixar pregados na história o tempo inteiro. Mas é um bom filme, sem ser brilhante ou genial. Só não faz o meu estilo.