quinta-feira, 21 de maio de 2009

Seção CANARINHOS // American Idol 8 - Top 2

Top 2 – Semana Final


Como eu havia dito desde o primeiro post sobre o programa, essa temporada caprichou nas maldades e nas injustiças. Com o tempo, só sobrou uma única esperança, Adam Lambert, que durou até o último suspiro. Os erros cometidos eu já venho citando há algum tempo, e nessa final eles repetiram todos, da forma mais lamentável. A gente até relevava na esperança de um “happy ending”.

As I said since my first post about this show, this season was filled with cruelty and injustices. As time went by, there was only one hope left, Adam Lambert, who struggled until his last breath. I have been talking a lot about the mistakes they have made and on this season finale they did them all again, in the most regretful way. We were just letting them pass hoping for a “happy ending”.

Continuaram com o escárnio, entregando prêmios de puro deboche a pessoas que tinham que fingir alegria. E esse ano ainda foi pior, porque eles entregaram os prêmios para os candidatos que eles próprios elegeram finalistas. Ou seja, na teoria isso significa que eles só levaram essas pessoas adiante para terem motivos para diminuí-las na televisão, ganhar audiência com a humilhação alheia, pura e gratuita. É tudo muito mesquinho. Tudo bem que o tal do Normund Gentle (ou Nick Mitchell) gosta de se promover com isso e hoje em dia tira proveito da situação já há um tempo. É uma escolha dele. Já Tatiana foi obrigada por contrato pra fazer papel de palhaça em rede mundial (Mundial... O programa é visto no mundo inteiro.). Ainda assim, quando ela cantou (encenando uma situação vexatória), foi melhor que os diversos finalistas que se apresentaram anteriormente no programa.

They continued the mockery, handing shameful awards to people who had to pretend to be happy. This year was even worse because they awarded contestants they put among the finalists, which means they were only there to get audience through gratuitous public humiliation. It’s all so mean. All right, Normund Gentle (or Nick Mitchell, whatever...) enjoys promoting himself through this and he’s taking advantage of this situation for a while now. It’s his choice. But Tatiana was obligated under contract to make a fool of herself on world screen (yes, world… The show is broadcasted all around the world). Even so, she proved to be a more talented singer than most of the 13 finalists, even forced to be part of a ridiculous situation.

Todos os valores mais retrógrados e pequenos defendidos pela FOX e pela direita religiosa americana foram explicitados no programa este ano. A defesa de Danny Gokey, o pastor evangélico que se projetava através de sua esposa recém falecida. Transformava uma suposta “dor” em simpatia, e em votos. Mas como ele é um homem cristão e devoto, automaticamente torna-se um homem de bem, honrado, honesto. E muito ético também, não nos esqueçamos. As opiniões sobre ele eram divididas. Muitos amavam e muitos odiavam. Fazê-lo vencer seria perder metade da audiência do programa. Mas o candidato mais talentoso não era de agrado também. Era gay demais. Eliminá-lo de cara seria evidenciar a discriminação. Então vamos levá-lo a final. Junto a ele sobrou o café-com-leite, o mediano, o bonitinho, simpático, casado e cristão. Escolha perfeita. Agrada a gregos e troianos. Será que agrada mesmo?

All the retrograde and low values defended by FOX and the religious conservative community were displayed on the show this year. Danny Gokey’s adoration, a preacher who used to project himself through his recently dead wife. Transforming a supposed grief in sympathy, and then in votes. But he is a devoted Christian man, what automatically makes him good, honored, honest. And very ethical too, let’s not forget! The opinions about him were split. Many loved him, many hated him. Make him win would mean losing half of the audience. But the most gifted singer wasn’t a production pleaser either. He was too gay. Send him away soon would only show their discrimination, so let’s take him to the finals. Along with him there was only “Switzerland”, the mediocre, cute, likeable, married and Christian young man. Perfect choice. Pleases Greeks and Troyans. Does it really?

O tempo dirá quem é o verdadeiro vencedor. Um é um novo Freddie Mercury, um Robert Plant em essência. Está ao lado de David Bowie, Steven Tyler e Mick Jagger. Representa para o rock clássico, psicodélico e progressivo dos anos 70, e o glam rock dos anos 80 o que Amy Winehouse representa para o jazz, blues e música negra dos anos 60. Já o outro é um releitura de New Kids On The Block, Backstreet Boys. Um Nick Carter melhoradinho, que ao menos toca instrumentos.

Only time will tell who’s the real winner. One is the new Freddie Mercury, a Robert Plant in essence. He is beside David Bowie, Steven Tyler and Mick Jagger. He represents to classic rock, psychedelic and progressive rock from the 70’s, and glam rock from the 80’s what Amy Winehouse represents to jazz, blues and black music from the 60’s. The other is a New Kid on The Block, a Backstreet Boy. An improved Nick Carter who can play instruments.

Eu sinto pena por Kris. Ele melhor que ninguém sabe que venceu por todos os motivos errados. Não venceu por ser o melhor. Diante de um grupo extremamente fraco de finalistas, ele se destacava evidentemente. Mas venceu pelo bairrismo da sua terra natal, pelas adolescentes cegas e pelo apoio (involuntário) de lunáticos, propagadores de intolerância, recebeu os votos do desrespeito às diferenças. E um resultado de um programa bobo de TV reflete claramente a sociedade em que vivemos. O preconceito move montanhas, sob o nome da “vontade de Deus”. Será que Deus quer um mundo tão corrompido por discórdia e desamor?

I feel sorry for Kris. Better than anyone he knows he won for all the wrong reasons. He didn’t win for being the best. Among an extremely weak group of finalists, he certainly stood out. But he won through the “patriotic” support from his hometown, through the blind teenage girls and a (involuntary) support from lunatics, spreading intolerance, receiving the votes against the respect to the differences. And the results from a stupid TV show only reflect in what kind of society we live in. Prejudice moves mountains, under the name of “God’s will”. Does God really want a world so consumed by disharmony and dislike?

9 comentários:

  1. Quer dizer que o melhor candidato perdeu pq era gay e ganhou o mediano que era cristao e casado?
    Mas entao... como faz pra mudar o mundo? me diz como fazer pra acabar com o preconceito e a intolerancia ?

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não me recuperei do baque, sabe, estava tentando explicar ao Kenji, em meio ao chororô, que eu não estava triste por que o meu favorito perdeu. Não é como se a seleção brasileira perdesse a copa ou o Flamengo fosse desclassificado do campeonato nacional (metáforas que ele compreende bem). Eu estava devastada (exageros à parte, mas é verdade) por ter me agarrar a um fiapo de esperança de que a intolerância não seria superior ao talento verdadeiro, ao gênio, à virtuose.
    Glambert não era só bacana, autêntico, volcamente único e um artista genuíno, ele era superior a tudo o que havia ali em seu entorno, era um artista real, nos trazendo sua singularidade, sua ARTE, desprendida, exagerada, aguda. Eu pensava: "péra lá, como ele há de perder? Para quem ele há de perder?" - ele dominava o palco e conseguiu fazer daquele programa de calouros um show de verdade.
    Infelizmente era Lambert X Lambert, né. Lambert, o artista incomum X Lambert, o gay assumido, já que este último despertou a ira dos fundamentalistas. Lógico que o rapaz vencedor (como era mesmo o nome dele?) não teve culpa por ter sido beneficiado pelos votos dos homofóbicos, um super constrangimento, né. Lógico que competições, sobretudo de são espetáculos de massa, seguem a cartilha da injustiça, invariavelmente. Lógico que Adam Lambert fará shows , filmes, musicais e - até vejo um lado bom nisso - sem estigma de ter vencido *apesar* de ser gay, seguirá exibindo os seus beijos linguais em rapazes tão lindos quanto (adoro!) e seu figurino de Elvira, a rainha das Trevas. Felizmente, a heteronormatividade de uma gravadora de rede de TV conservadora não vai emoldurar Glambert num terninho. E eu vou baixar todos os singles dele. E ouvir muito. Quanto ao mundo podre, ultimamente, não ando muito esperançosa em mudanças imediatas (nem a longo prazo). Liguei o foda-se no último volume. Só com muito, mas muito Glam para fazer brilhar esse planeta. Pois, infelizmente enfrentamos uma ditadura do Fake em toda parte. Vidas Falsas, sexualidades falsas, imagens falsas, falsos vencedoras. No entanto, felizmente, à parte disso, temos Glambert. : ~ *

    ResponderExcluir
  3. Oi! vi teu blog do da Lola,

    SIM ESTOU INDIGNADA, e nem assisti ainda, minha irma nao aguento e "spoilo" tudo ehuaheuah

    =D

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabi! legal te ver aqui.
    Eu assistia ao vivo online, e dessa vez resolvi acompanhar e escrever sobre ele semanalmente. Escolhi logo a pior temporada pra isso. Uma pensa. Nem tenho mais vontade de ver as temporadas seguintes. E sabe que o resultado nem me surpreendeu? Foram tantas decepções no decorrer do programa que um final como esse até que foi esperado. Pelo menos o Kris não é de todo mal. Mas venceu, sim, por votos contra o Adam e não a favor dele.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Bom, eu também fico triste com o fato de Adam Lambert não ter vencido por causa da homofobia. Mas devemos levar em conta que dos milhões de votos que foram para o Kris foram por causa de seu carisma, um fator importante em reality shows.

    Eu tenho um amigo gay que é contra qualquer tipo de discriminação. Sabe o que ele disse após a final? "Go, Kris, Go!!" Ele ficou muito feliz com a vitória de Kris. Então, imagino que a parte homofóbica que votou em Kris seja menor do que se imagina.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Alessandro, eu até gosto do Kris, porque essa fase boy band foi bem na minha infância-adolescência, e eu até gosto do estilo, mas convenhamos que ele não é nenhum primor de músico. Simpático ele é, como todo teen que vai parar na mídia, como David Archuleta era no ano passado. E isso conquista o voto das adolescentes, que votam com os hormônios.
    E como a Dai disse, o frustrante não foi a derrota do Adam, eu na verdade não dou a mínima porque a carreira musical dele virá com certeza após o programa. Mas notar como o programa reflete a intolerância que ainda existe na sociedade. As campanhas que fazem contra alguém apenas baseada na sua orientação sexual, diminuir todo um talento, capacidade e potencial de uma pessoa baseado num preconceito sórdido.

    Valeu pelo comentário! Apareça sempre que quiser!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Excelente análise como de praxe Vitor. Eu acho mesmo que Allen se favoreceu dos votos cristãos mas concordo com o comentário abaixo que ele é muito carismático e o argumento dele de ser humilde e tudo o mais é mais 'acreditável' do que Archuleta no ano passado, que mal conseguia dar uma entrevista porque ficava preso à essa amarra "Tenho que ser bonitinho, agradável e humilde para o país votar em mim".
    Terrível.

    Lambert é muito mais completo mas é muito impactante, e Kris Allen é um Jason Mraz / John Mayer, assim como Lambert é um David Bowie/Freddie Mercury. A população jovem americana é muito mais louca pelo primeiro estilo do que pelo segundo.

    Apesar da integridade da FOX ser bem questionável, pois sempre foi um canal de ultradireita, ao contrário da CBS, o som de Kris Allen é digerível muito mais facilmente. Isto é: Adam grita muito. Apesar de ser um ótimo artista, criativo e etc., eu sinceramente prefiro as músicas e versões de Allen. E nem por isso sou homofóbico ou cristão.

    ResponderExcluir
  8. Partindo do seu pressuposto, quem merece mais vencer uma competição de talentos, o mais completo ou o lugar comum?

    ResponderExcluir
  9. Nossa, Vitor, acho que o pessoal interpretou muito mal seu texto.

    Pelo que estão falando é como se houvesse um antagonismo entre gays e héteros e os primeiros votariam no Adam Lambert e o segundo no hétero. Gays gostam de Lambert e héteros de Allen.

    Bem, eu sou heterossexual, mas, aprecio cantores afinados, inventivos e que alcaçam notas altas e, logicamente, torcia pelo Adam. O outro candidato era medíocre. Muito medíocre. O gordinho de óculos, embora detestável, era bem mais afinado e a menina mexicana, a única que lambia as botas do Adam. Nem de longe tivemos uma disputa acirrada ombro a ombro, como foi no caso do Archuleta X Cook, onde ambos possuíam qualidades artísticas e apelo popular, pois apenas um candidato se destacou durante todo o programa. (As citações no google, capas de revistas e reportagens não deixam mentir).

    Agora, depois da morte da bezerra, algumas pessoas justificam a vitória do Allen por seu carisma. Bem, acho questionável. E por que o Adam não tem carisma? Ele grita? Ele é roqueiro? Sério que as pessoas não suspeitam nem de longe que a campanha homofóbica não tenha respingado em sua vitória (estamos falando de um cara que disputou a final), hum?

    Acho que o que vc critica no seu texto é justamente que a sexualidade do indivíduo seja alvo de uma campanha contra e por isso não se saiba acerto se foi uma simples questão de gosto pessoal ou se realmente o preconceito teve impacto na votação, não que gays e héteros estejam se digladiando.

    E, independente do resultado, só a possibilidade de em pleno século XXI alguém ser detratado publicamente por ser gay já é lamentável o suficiente. E eu nem preciso ser gay para sacar isso, viu...

    ResponderExcluir