quinta-feira, 28 de maio de 2009

Seção ALUCINÓGENOS // Nordeste Independente

Clique nas imagens para ampliar.


Como eu disse no post abaixo, eu não costumo gostar muito de músicas em português, nem sou devoto do bairrismo, mas reconhecer os valores da terra é preciso. Preconceito contra nordestinos existe, isso infelizmente é fato. Acredito eu que ele diminua cada dia mais. Vi um blog em que "botocudos" como eu são diminuídos a sub-raça, a escória, e ela também viu e criticou. Nos comentários, foi postada a letra dessa canção que eu já conhecia há muito tempo e acho de um bom humor e de uma crítica sutilmente geniais.

Achei legal expô-la aqui:


Nordeste Independente
(Bráulio Tavares/Ivanildo Vilanova)

Já que existe no sul esse conceito
Que o nordeste é ruim, seco e ingrato
Já que existe a separação de fato
É preciso torná-la de direito
Quando um dia qualquer isso for feito
Todos dois vão lucrar imensamente
Começando uma vida diferente
De que a gente até hoje tem vivido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Dividindo a partir de Salvador
O nordeste seria outro país
Vigoroso, leal, rico e feliz
Sem dever a ninguém no exterior
Jangadeiro seria o senador
O cassaco de roça era o suplente
Cantador de viola o presidente
O vaqueiro era o líder do partido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Em Recife o distrito industrial
O idioma ia ser nordestinense
A bandeira de renda cearense
“Asa Branca” era o hino nacional
O folheto era o símbolo oficial
A moeda, o tostão de antigamente
Conselheiro seria o inconfidente
Lampião, o herói inesquecido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

O Brasil ia ter de importar
Do nordeste algodão, cana, caju
Carnaúba, laranja, babaçu
Abacaxi e o sal de cozinhar

O arroz, o agave do lugar
O petróleo, a cebola, o aguardente
O nordeste é auto-suficiente
O seu lucro seria garantido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Se isso aí se tornar realidade
E alguém do Brasil nos visitar
Nesse nosso país vai encontrar
Confiança, respeito e amizade
Tem o pão repartido na metade,
Temo prato na mesa, a cama quente
Brasileiro será irmão da gente
Vai pra lá que será bem recebido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Eu não quero, com isso, que vocês
Imaginem que eu tento ser grosseiro
Pois se lembrem que o povo brasileiro
É amigo do povo português
Se um dia a separação se fez
Todos os dois se respeitam no presente
Se isso aí já deu certo antigamente
Nesse exemplo concreto e conhecido
Imagina o Brasil ser dividido
E o nordeste ficar independente

Povo do meu Brasil
Políticos brasileiros
Não pensem que vocês nos enganam
Porque nosso povo não é besta!


Fotos, de cima para baixo, da esquerda para direita:

1 - Genipabu/RN, João Pessoa/RN, Cânion do São Francisco/SE, Maragogi/AL, São Luís/MA, Canoa Quebrada/CE, Salvador/BA.

2 - Delta do Parnaíba/PI, Fortaleza/CE, Aracaju/SE, Olinda/PE, Plantação de Girassóis no MA, Praia da Concha/BA, Pelourinho/BA, Mossoró/RN.

3 - Rio Poty/PI, Praia de Coqueirinho/PB, Chapada Diamantina/BA, Cariri/PB, Lençóis Maranhenses/MA, Recife Antigo/PE, Maceió/AL, Caverna Encantada/BA.

Um comentário:

  1. Adorei, adorei. Essa letra realmente é de arrepiar, sobretudo quando pensamos no contexto em que foi escrita, é um grito de auto-estima em alto e bom som. E a colcha de retalhos com as imagens ficou linda, linda. O nordeste é bem isso mesmo, uma colcha de retalhos, diversa, desigual e colorida. Como diria Suassuna, o Nordeste é uma civilização! (claro, sem bairrismos e vamos admitir que eu tb discordo um monte do arianão, mas, sim, orgulho é algo a ser perseguido com gosto e gana, sobretuddo por povos oprimidos, de toda parte). Beijos.

    ResponderExcluir