domingo, 25 de janeiro de 2009

Seção CINEMA // Crítica Dúvida

Arrependei-vos e crede no evangelho

Dúvida // Doubt


Nota: 9,5


Dúvida é a adaptação de uma peça teatral homônima para as telas de cinema, e vem sendo destaque em quase todas as premiações. Principalmente quando se trata do elenco. E ele é magnífico. Esplendoroso. O trio principal é feito por Philip Seymour Hofman, Meryl Streep e Amy Adams, como um padre e duas freiras. O filme é dirigido por John Patrick Shanley, que também dirigiu e escreveu a peça teatral. Como ator de teatro tem a fama de um artista de rua, a produtora se livrou deles e contratou os famosos. Se a escolha foi melhor, fica a dúvida, mas o elenco escolhido foi realmente o ponto alto do filme, que tem nos diálogos o seu grande trunfo.


A história começa o padre Flynn (Hofman) fazendo um sermão sobre dúvida. Intrigada, a madre superiora do colégio (Meryl) pede às demais freiras que fiquem de olho nele. A jovem e inocente Irmã James (Adams) nota um comportamento estranho em um dos alunos, Donald Miller, o único negro do colégio, que é coroinha e muito próximo ao padre, e relata tudo a sua superiora. Ela liga diversos fatos e conclui que o padre vem abusando o menino.

Como eu já disse o elenco é perfeito. Soma-se ao trio Viola Davis, como a mãe do menino. Sua participação no filme é rápida, mas é muito marcante. Eu também não vou mentir que fiquei morrendo de nojo dela em cena, porque eu não sabia se o que ela tanto engolia era lágrima ou secreção nasal... Eca... Mas tirando isso, sua interpretação é brilhante. Tanto que lhe valeu uma indicação ao Oscar. Aliás, os quatro receberam merecidas indicações.

Meryl a gente nem precisa comentar. Essa é sua 15ª indicação. Um recorde. Venceu duas, coadjuvante por Kramer VS. Kramer em 1980, e protagonista por A Escolha de Sofia em 1982. Um tempão já. Ela está perfeita como uma freira extremamente conservadora e dura. O filme discute abertamente autoridade e moralidade. São discussões interessantes. Cada personagem tem seu ponto de vista, mas o que cada um está disposto a fazer para provar o seu?

Um momento interessante é uma analogia que o padre relata em seu sermão. É uma metáfora entre fofoca e um travesseiro. Nunca tinha pensado por esse lado. Vendo o filme vocês entenderão. Sinceramente, o filme fala tanto de dúvidas, que até eu me enrolei. Vou até ver de novo pra ver se o que eu entendi é realmente o que eu entendi pra poder acabar com a minha dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário