quinta-feira, 24 de maio de 2007

An'Alpha Dog

Nota: 6,0

Alpha Dog é mais um daqueles “fantásticos” casos reais que Hollywood adora fazer. Na verdade, a história é sobre o traficante juvenil Jesse James Hollywood, que no filme virou Johnny Truelove. Ele foi o mais jovem criminoso a ser um dos dez mais procurados pelo FBI.

O filme é dirigido e escrito pelo Nick Cassavetes, que antes era ator, mas sem muito sucesso. Nele, vemos um jornalista entrevistando pessoas ligadas ao crime em relato, e paralelamente vemos a história em si rolando. Johnny é interpretado pelo Emile Hirsch, conhecido por filmes como Show de Vizinha e o Clube do Imperador, e não muito convincente nesse filme. Ele é muito mirradinho pro papel. Johnny vive lá a vida dele de playboy traficante, cheio de dinheiro, mulheres, armas e palavrões pra todos os lados, mas um belo dia ele se mete em problemas com um cara que o deve dinheiro. Aí ele esquece de ligar o interruptor do cérebro e tem a idéia de jerico de seqüestrar o irmão dele até ele pagar a dívida.


O elenco ainda conta com Bruce Willis, canastrão como sempre, mas se bem que nesse filme até combina com a personagem, Justin Timberlake fazendo um papel de delinqüente-mamão que é a cara dele, ele nem precisou atuar, e com a Sharon Stone, como a mãe ultra-protetora do menino seqüestrado.



O filme tem um roteiro meio falho. Apresenta coisas que são irrelevantes no filme, como a contagem de testemunhas do crime. Além de ter uns erros cronológicos no filme a cena final tem um erro meio primário, que se eu contar acaba com a “surpresa” do final. O que eu mais gostei nele foi a montagem, que mostra algumas cenas de dois ângulos diferentes, e da interpretação da Sharon Stone. A cena do jornalista a entrevistando é a melhor cena e interpretação de todo o filme, e da própria Sharon desde Cassino. Nessa cena ela está desfigurada, gorda, eu só a reconheci depois de um tempo.


Acho que o que me desagradou principalmente foi ambiente degradante que o pessoal desse filme vive. Todos completamente estúpidos, burros, preconceituosos, com apenas um neurônio na cabeça, ou seja, um bando de “mala”. E ainda tem aquele monte de menina vazia que acha o máximo o cara ser um seqüestrado. Só uma delas tem consciência da roubada que se meteu, mas ainda assim continua lá no meio. Mas o filme tem todo aquele clima de Hip Hop, drogas e delinqüência juvenil, tudo visto de uma maneira muito superficial evidentemente, que com certeza vai agradar os rapazes adolescentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário