terça-feira, 13 de março de 2007

A Bazouka da Salvação

Nota: 9,0

Eu queria ter visto antes Filhos da Esperança, e ele voltou a entrar em cartaz aqui em Recife, aí eu não podia perder uma segunda oportunidade. Adoro esses filmes apocalípticos tipo Mad Max, Extermínio, Blade Runner, etc. O filme é do mexicano Alfonso Cuarón, que já fez E Sua Mãe também e Harry Potter e o Prisioneiro de Askabán, ele dirigiu e escreveu junto com Timothy J. Sexton, e tem no elenco os ótimos Clive Owen, Julianne Moore e Michael Caine. Um elenco de peso.

A história se passa em 2027, e o mundo está tão poluído, tão poluído que as mulheres ficaram inférteis. Aí o planeta vira aquele caos. Como não há esperança de futuro, tudo vira uma bagunça. As pessoas tornam-se egoístas (mais do que o nomral) e passam a pensar só em si mesmas nessas situações, como se fosse adiantar de alguma coisa. O último espécime humano a nascer acabou de morrer numa briga de rua. Aí foi aquela comoção mundial. Tinha 18 anos, era um argentino e era um babaca. Sendo argentino só podia dar nisso, né, ehehehehe. Mas vamos ser honestos, se fosse brasileiro a história não seria diferente... No meio disso tudo, conhecemos o Clive, que era casado com a Julianne, e tem uma amizade muito próxima com o Michael. Não me recordo bem se eles eram parentes, ou amigos. Acho que não prestei bem atenção no momentos que isso foi esclarecido.

O Michael é realmente um bom ator, não é mesmo? Além de ser um homem brilhante. O seu discurso de agradecimento após levar o Oscar de coadjuvante em 2000, junto com o da Halle Berry em 2002, foi o melhor que eu vi nos últimos anos, apesar de ele ser minha última opção para levar o prêmio. Os outros quatro, Tom Cruise, Michael Clark Duncan, Jude Law e Haley Joel Osment, eram mais interessantes.

Voltando ao filme. O Clive é bem próximo do Michael, que planta erva em casa, que é escondida no meio do mato numa estrada, e a Julianne o procura depois de um bom tempo de separados para pedir um favor, que a ajude a conseguir documentação para que uma ilegal lá na Inglaterra possa sair do país, fugir do caos que a Inglaterra virou, por um bom motivo, ela está grávida. A partir daí, começa a ação. Quem gosta de filmes que te prendem a respiração, como Diamante de Sangue e Os Infiltrados, só pra citar uns mais recentes, vai adorar. Essas situações de “salve-se quem puder” me atraem muito. Eu me empolgo, acho muito divertido. Quase entro dentro do filme. Talvez porque seja bem distante da nossa realidade. Não sei se eu acharia tão divertido assim se isso fosse parte do nosso cotidiano. A confusão comendo no filme, aquele desmantelo pra tirar a condenada da Inglaterra e a infeliz quer colocar na criança o nome de Bazouka. Eu não podia deixar de rir nessa hora. Gargalhei alto no cinema.

A fotografia é excelente. Foi indicada ao Oscar mas perdeu para a do Labirinto do Fauno. Mas levou todos os prêmios anteriormente. Acho que perdeu porque todos os latinos membros da Academia votaram no mexicano do Fauno. Depois esse povo quer ser levado a sério... O roteiro também foi indicado. O final é uó. O filme perde meio ponto por isso. Acaba com aquela sensação de que faltou dez minutos de filme. Mas eu gostei muito. É um dos meus Top 10 de 2006.

2 comentários:

  1. Vitorino, 9 pra esse filme é exagero no meu ponto de vista... Numa época em que ninguém conseue engravidar, a mulher deveria ser "endeusada" e não escondida como acontece no filme, não sei da onde saiu o roteiro, talvez lá esteja bem explicado, mas no filme não consegui perceber...mas tudo bem, o filme realmente é bem produzido, com atores excelentes, mas a história não é convincente, por isso um 7 tá de bom tamanho...

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso!

    A minha opinião:
    http://cineroad.blogspot.pt/2010/12/os-filhos-do-homem-2006.html

    Roberto Simões
    CINEROAD

    ResponderExcluir