segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

O sexo dos anjos

Nota: 9,5

Esse fim de semana aluguei a multi-premiada mini-série da HBO Angels in America. Pra se ter noção, ela levou os prêmios de melhor Filme ou Minissérie para TV, ator, atriz, ator coadjuvante e atriz coadjuvante do Emmy e do Globo de Ouro e de alguma outra premiação que não me ocorre no momento. Mas, tirando a brincadeira do título, é realmente excelente a produção! Dirgido por Mike Nichols, dos excelentes A Primeira Noite de Um Homem, Quem Tem Medo de Virginia Woolf, Uma Secretária de Futuro e Closer – Perto Demais, e com elenco brilhante, com os já famosíssimos Al Pacino, Meryl Streep, Emma Thompson e outros menos conhecidos do grande público nacional como Patrick Wilson (da droga O Fantasma da Ópera e do ainda inédito Pecados Íntimos), Mary-Louise Parker (de Tomates Verdes e Fritos e do seriado Weeds), Justin Kirk (que fez o seriado Jack & Jill), Jeffrey Wright, Ben Shenkman e James Cromwell. Muitos deles fazem mais de um personagem. O mais impressionante é a Meryl Streep interpretando um rabino logo no comecinho. Que mulher danada! Tem gente que nasce mesmo pra brilhar. Eu tenho que descobrir onde ela comprou a fórmula do sucesso.


A minissérie é uma adaptação pras telas da peça de teatro homônima de Tony Kushner. Ele mesmo adaptou o roteiro. A história narra o universo da AIDS na década de 80 em Nova York. Várias personagens surgem e se envolvem uns com outros. Uns são doentes, outros não, mas todos vivem de perto essa realidade, que leva vários ao delírio (não entenda como nada relacionado à alegria), a se auto-analisar e questionar sua existência.

Al Pacino vive um advogado inescrupuloso que se descobre contaminado e finge ter câncer, pra não arruinar sua carreira. Meryl faz a mãe do mórmom Patrick Wilson, que está confuso com sua sexualidade e é casado com a doida de pedra Mary-Louise Parker, que viaja no Valium. Jeffrey Wright é o enfermeiro ex-drag queen que cuida de aidéticos, e é amigo de Justin Kirk, outro aidético que é abandonado pelo companheiro de 4 anos Ben Shenkman ao descobrir da doença e não conseguir lidar com a pressão. Emma Thompson é a médica que cuida de Justin, e é também o anjo que lhe traz uma importante mensagem (Um anjo com 8 genitálias. Não sei onde ela colocou isso tudo!).

Só daí já dá pra ver que dá pra rolar muita coisa não é? Pois é. Muita coisa acontece, muito drama, muita confusão, muitas alucinações, mas a mensagem final é clara, muito importante e pertinente. Eu gostei muito do resultado. E acho que todos deveriam ver. Mas vale lembrar que é uma minissérie. São 6 capítulos de uma hora cada aproximadamente. Tendo paciência, vale a pena conferir.

Um comentário:

  1. por um lado amei! por outro fiquei com ciúmes: agora a blogsfera inteira vai ter acesso às minhas exclusivíssimas dicas cinematográficas. Vida longa ao blog, vi, vou passar sempre por aqui. beijos

    ResponderExcluir